2.9.08

Relativizando a realidade

The saddest part of a broken heart
Isn't the ending so much as the start
The tragedy starts from the very first spark
Losing your mind for the sake of your heart

"Let It Die" by Feist

...a verdadeira dor é sempre provocada por quem amamos, ou a quem respeitamos, e sempre, sempre nos apanha de surpresa, uma surpresa que nos tolhe, nos impede de reagir...
O bom senso da maturidade, essa fase da vida em que aprendemos a escolher criteriosamente o que nos incomoda, e que por conseguinte nos faz ter uma atitude positiva e pacífica perante a vida, não é mais do que o momento em que deixamos pura e simplesmente de criar expectativas em relação aos outros. Desistimos dos sonhos e olhamos tudo com uma limpidez terrivel. Baixamos os ombros e continuamos em frente. Porque, afinal, apenas a juventude, na sua irreverência, é abençoada com a inocência e a ideia fantástica de que tudo é possível.

(Texto adaptado. Original de Luisa Castel-Branco)

1 comentário:

Druiel disse...

espectacular, adorei!!!!

Beijinhos