11.3.08

POR VEZES


“E por vezes as noites duram meses
E por vezes os meses oceanos
E por vezes os braços que apertamos
Nunca mais são os mesmos e por vezes

Encontramos de nós em poucos meses
O que a noite nos fez em muitos anos
E por vezes fingimos que lembramos
E por vezes lembramos que por vezes

Ao tomarmos o gosto aos oceanos
Só o sarro das noites não dos meses
Lá no fundo dos copos encontramos

E por vezes sorrimos ou choramos
E por vezes por vezes ah por vezes

Num segundo se envolam tantos anos.”

David Mourão-Ferreira

1 comentário:

Druiel disse...

Às vezes a poesia é poderosa. Como agora neste poema.

Lindo.